Consumidores comerciais e residenciais aderem à energia solar fotovoltaica

Consumidores comerciais e residenciais aderem à energia solar fotovoltaica

A energia solar vem crescendo rápido no Brasil, mas especialmente a energia solar fotovoltaica. Desde 2012, com a resolução normativa ANEEL n° 482, muitos sistemas foram instalados em todo Brasil atingindo mais de 30 mil sistemas.

Muitos fatores têm favorecido o crescimento do mercado de energia solar fotovoltaica, com grande ênfase para a redução dos custos de bens e serviços, em função do ganho de escala no mercado mundial e do rápido crescimento das empresas integradoras com serviços de venda, engenharia e instalação.

A principal justificativa de compra de uma usina solar fotovoltaica é o retorno financeiro sobre o investimento, cada vez mais reconhecido por alguns perfis de consumidores, especialmente consumidores residenciais e comerciais de pequeno porte, que enfrentam custos com tarifas de energia elétrica mais caros. O retorno sobre o investimento – PAYBACK, de uma usina fotovoltaica varia em função do tipo e do tamanho da instalação, nível de tensão, tributação e tarifa de energia elétrica.

Apesar do grande crescimento da energia solar fotovoltaica no pais, apenas uma parcela ainda muito pequena de unidades consumidoras de energia elétrica conta com essa solução. Como exemplo, temos regiões como São Paulo, responsável por 30 % do PIB nacional com taxa de participação inferior a 0,04%. (Greener -2018).

 

O que pode ser feito para que mais brasileiros tenham acesso a essa solução fotovoltaica nas suas residências e comércios?

O setor tem evoluído também, nos últimos anos, fabricando localmente equipamentos e formando cadeias de serviços com empresas de todos os portes e perfis. A alta competividade do mercado também tem proporcionado reduções de custos, o que torna mais atrativo o investimento. Outro fator tão importante quanto a queda de preços dos equipamentos, é a eficiência na capacitação dos clientes, instalação e pós-venda, sendo fundamentais para trazer mais competitividade e crescimento sustentável para a área.

Contudo, o crescimento de investimento nesse setor depende muito de incentivos em linha de financiamento com taxas de juros e amortização acessíveis e compatíveis com os perfis de sistemas e consumidores. Tem se visto esforços dos agentes financeiros em compreender a natureza do mercado de energia solar fotovoltaica e os riscos embutidos, de forma a adequar e estimular ainda mais o mercado.

O amadurecimento de novas tecnologias de armazenamento de energia, mobilidade elétrica e diversificação do consumo trará oportunidades para o setor. A solar fotovoltaica é umas das fontes mais democráticas do planeta e traz o consumidor para o centro das decisões. Mesmo na atual situação de desenvolvimento do pais, a energia solar fotovoltaica tem despertado interesse em massa da população, conforme atesta pesquisa do Ibope Inteligência de 2018, que mostra que nove em cada dez brasileiros quer gerar sua própria energia em casa.

 

Por Thiago Medeiros

Engenheiro Eletricista

Gestor da Energy Soluções em Engenharia

Deixe o seu comentário


O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *